Esqueça tudo que você já leu sobre dor no ombro e bursite!! (Exceto o que postei recentemente no meu site, claro! 😉)

Agora você vai entender de uma vez por todas qual a diferença, e semelhança, entre os dois.

O que? Você ainda não leu nada sobre o assunto? Aproveite a oportunidade e clique nesses links abaixo para se informar melhor.

Agora que já estamos “todos na mesma página”, podemos ir direto ao assunto:

Dor no ombro e bursite é a mesma coisa?

Ao longo dos anos atendendo diversos pacientes com dor no ombro, já perdi as contas de quantas vezes ouvi em consulta…

“Olá doutor, tudo bem? Passei em um médico no pronto-socorro pois estava com dor no ombro, foi feito um Rx e ele me disse que eu sofria de bursite no ombro”.

Vamos esclarecer de vez por todas o que esta errado, e certo, nesta frase.

Qual a diferença entre sintomas e doenças?

A primeira diferença é semântica.

Os sintomas são as sensações experimentadas pelos pacientes. Exemplos: dor, queimação, ardência, formigamento, sensação de peso, aperto, coceira, tranco, deslocamento etc.

As doenças são os diagnósticos médicos atribuídos a esses sintomas, e são definidos pelos profissionais de saúde na consulta médica. Exemplo: bursite, tendinite, lesão do manguito rotador, síndrome do impacto do ombro, lesão labral etc.

No nosso caso específico, dor no ombro e bursite são respectivamente sintoma e doença (diagnóstico), portanto não correspondem semanticamente.

Porque o ombro dói?

A segunda diferença… 

A dor no ombro e bursite caminham sempre juntas? Resp: NÃO!

Os exames de imagem do ombro (como a ultrassonografia ou a ressonância magnética) podem demonstrar algum grau de “inflamação na bursa”, mesmo sem a queixa de dor no ombro. Isso é esperado e não deve ser encarado como doença a ser tratada.

Por outro lado, a sensação de dor no ombro pode ser devido a lesões em diversas estruturas: tendão do bíceps ou do manguito rotador, cápsula articular, ossos, ligamentos ou labrum. Essas alterações devem ser investigadas e tratadas.

Assim,

a dor no ombro pode aparecer sem bursite.

Entendendo a Bursite do ombro

Primeira semelhança…

A bursa é um “coxim gorduroso” e vascularizado, e serve para diminuir o atrito entre duas estruturas. Há bursas em diversas regiões do nosso organismo: no quadril (trocanteriana, isquiática, iliofemoral), ombro (bursa subacromial/subdeltoidea), cotovelo (bursa olecraniana), joelhos (patelar) entre outros.

No ombro, a bursa subacromial/subeltoidea serve para diminuir o impacto entre os tendões do manguito rotador e o arco coracoacromial.

É esperado que a bursa “inflame” quando o impacto for maior. Sendo assim…

A inflamação exacerbada da bursa é a Bursite, e o principal sintoma dessa doença é a dor no ombro.

Porque então alguns médicos tratam dor no ombro e bursite como a mesma coisa?

A explicação para isso é estatística. A grande maioria das dores são causadas por doenças simples, leves, e a bursite é a mais comum de todas.

Após examinar o doente, o médico é capaz de diferenciar a gravidade do caso, e para os casos de menor gravidade, pode começar o tratamento inicial mesmo sem “fechar” o diagnóstico. Neste caso, podemos reservar a investigação para os casos em que não há uma melhora completa das dores.

Como a maioria das causas de dor no ombro em estágio leve é a bursite, o médico pode inferir o diagnóstico e iniciar o tratamento para alivio mais rápido dos sintomas.

Por esse motivo, também não está errado tratar dor no ombro e bursite como semelhantes, desde que o médico identifique como estágios iniciais e leves de doença.

Espero ter ajudado a esclarecer ainda mais sobre o assunto.

Caso ainda tenha duvidas, mande sua pergunta aqui nos comentários. Terei enorme prazer em responder.

Abs a todos.

Dr. Gustavo Borgo

 

Compatilhar: