Porque o diabetes e dor no ombro são doenças relacionadas?

Sim. O diabetes e dor no ombro são patologias relacionadas.

Mais do que isso, o diabetes causa inúmeras patologias ortopédicas, sendo que algumas delas podem ter como sintoma a dor no ombro. Um estudo realizado por reumatologistas de Curitiba-PR demonstrou uma alta prevalência de tendinites e entesopatias em pacientes diabéticos, envolvendo principalmente as estruturas articulares do membro superior.

Esta é uma doença metabólica crônica grave e um problema de saúde pública, caracterizado pelo excesso de açúcar no sangue. A prevalência mundial em 2000 era de 177 milhões de pessoas acometidas, aumentando progressivamente, com previsão de 360 milhões em 2030.

Os pacientes com diabetes apresentam uma série de complicações no aparelho musculoesquelético, tais como tendinites, osteopenia, artropatia de Charcot, capsulite adesiva do ombro, síndrome do túnel do carpo, artrites dos ombros, dedo em gatilho, síndrome da mão rígida, contratura de Dupuytren etc.

Você sabia que diabetes e dor no ombro tem relação de causa e efeito?

A dor no ombro ocorre em até 64% dos pacientes diabéticos, principalmente nos mais graves, que precisam de insulina para controle da glicose sanguínea. Ainda mais, as mulheres costumam ser as mais afetadas.

Acredita-se ainda que a hiperglicemia crônica (excesso de glicose no sangue encontrado nos diabéticos) cause reações inflamatórias no colágeno das articulações, levando a tendinites, entesopatias e síndrome de mobilidade articular reduzida. Além disso, essas reações são semelhantes àquelas que acontecem no processo de envelhecimento.

Explicações químicas

Para quem se interessa em entender um pouco mais, segue a explicação científica do processo.

A hiperglicemia crônica  é responsável por uma série de transformações no colágeno muito semelhante àquelas observadas no envelhecimento. Essas reações são chamadas de reações de Maillard.
diabetes e dor no ombroAs AGE’s (advanced glycation end products) geradas por essa reação química são as responsáveis por:

  • Aumento da rigidez do colágeno (em tendões, cápsulas articulares etc)
  • Retinopatia diabética
  • Nefropatia diabética
  • Maior acumulo de LDL (colesterol “ruim”)
  • Síndrome da mobilidade articular dimuída observada em mãos, pés, quadris e ombros de pacientes diabéticos.
  • Tendinites e entesopatias

São essas inflamações a explicação da relação entre a diabetes e dor no ombro.

Uma curiosidade é que a reação química descrita por Maillard é a mesma que ocorre em alimentos assados, sendo responsável pelo sabor, odor e aspecto dourado desses alimentos.

diabetes e dor no ombro

Tratamento e prevenção

O processo pode ser revertido ou diminuído, mas depende do controle glicêmico rígido por vários meses. O acompanhamento contínuo do endocrinologista é fundamental para que o diabetes permaneça controlado, evitando assim as tendinites, lesões tendíneas e desgaste das articulações.

Leia mais sobre a dor no ombro em diabéticos, clicando nos links abaixo:

Referências:

Monnier V, Sell DR, Abdul-Karim F, Emancipator SN: Collagen browning and cross-linking are increased in chronic experimental hyperglicemia. Diabetes 37: 867-72, 1988.

Raj DSC, Choudhury D, Welbourne TC, Levi M: Advanced 
glycation and products: a nephrologist ́s pespective. Am J Kidney 
Dis 35(3): 365-78, 2000

Morén-Hybbinette I, Moritz U, Scherstén B: The painful diabetic shoulder. Acta Med Scand 219: 507-14, 1986.


Sattar MA, Luqman WA: Periarthritis: another duration related complications of diabetes mellitus. Diabetes Care 8(5): 507-10, 1985.

Compatilhar: